segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

O triângulo de ouro indiano

O Dewali é o maior feriado da Índia, e é qdo eles comemoram o Ano Novo. Embora essa comemoração seja bem simbólica, já que ninguém sabe qual é o Ano que entra, afinal eles se orientam pelo mesmo calendário que o nosso. Assim não vá achando que seria uma comemoração como o Ano Novo Chinês, na realidade é mais mesmo um feriado, onde as pessoas aproveitam pra viajar e ficar com a família. Tivemos quatro dias de feriado oficiais, de quinta-feira à domingo. Enfim, aproveitamos esse grande, e último, feriado na Índia para fazer a viagem conhecida como o Triangulo de Ouro. Passamos por Delhi, Agra e Jaipur.

Pegamos uma avião de Baroda para Delhi, e de lá seguimos viagem de carro, com motorista é claro, mesmo pq na India não se aluga carro sem motorista. Daí faríamos de carro Delhi-Agra, Agra-Jaipur e desta ultima pegaríamos um avião de volta pra Ahmedabad e de lá de carro para Baroda.

Em Delhi, começamos o passeio visitando o Humayun’s Tumb. Essa tumba serviu de inspiração para a construção do Taj Mahal só que ela é vermelha e não branca. Depois seguimos para o Baha’i House of Workship, o templo em forma de flor de lótus e este é templo não pertence a nenhuma religião, na verdade é um templo para todoas as religiões! Por últimos fomos ao India Gate onde tem uma chama que nunca se apaga em homenagem aos soldados indianos e ingleses que morreram na primeira guerra mundial.

Humayun's Tumb


Baha'i House Workshop


India Gate

No dia seguinte fomos para Nova Delhi. Lá primeiramente fomos ao Jami Masjid uma grande mesquita mulçumana. Saímos e fomos para o Red Fort e seguimos em um passeio de riquixá – à pedal, não motor – pelas ruas da região que são repletas de mercados. Uma confusão gigante, com gente, carros, motos, ônibus, riquixás, vacas, cachorros, indianos e turistas num grande tudo junto e misturado! Não existem palavras que descrevam essa bagunça!!! E foi durante esse passeio que eu finalmente comprei meu saree indiano!


Jami Masjid


Red Fort


Riquixá


Saree

A última parada foi Qutab Minar, uma enorme torre em meio a um sitio arqueológico.




Seguimos então para Agra e a viagem foi uma verdadeira aventura. Digo isso pq depois dessa experiência com certeza nunca mais viajo de carro por lá, pois pude ter certeza que lá é mesmo terra de ninguém! Sem leis, sem respeito pelo próximo e por aí vai. Ainda bem que chegamos vivos! Na chegada, paramos em um forte chamado Sikandra. Fizemos o check-in no hotel e seguimos direto para o Taj Mahal. O Taj Mahal é realmente muito, mas muito bonito, não pelo o que a gente já vê em foto, mas sim pelo trabalho detalhado de cada parede. Todas são enfeitadas com pedras incrustadas no mármore. Lindo mesmo! Mas apesar de lindo não há nada pra se ver dentro daquela enorme cosntrução, mas ir na India e não conhecer o Taj é como nem ter estado lá! Tem de ir, e com certeza vale muito a pena ir! No dia seguinte passamos pelo Forte de Agra, outro lugar que valeu a visita. E foi lá que minha sogra virou celebridade instantânea, hehehe.


Sikandra


Taj Mahal


Red Fort



Jaipur era a nossa última parada e no caminho paramos em outro sitio arqueológico: o Fatehpur Sikri. A área que foi uma cidade no passado conserva quase todas as construções intactas. E foi lá que vi pela primeira vez um encontador de cobras!


Fatehpur Sikri



A empresa que alugamos o carro forneceu um guia para Jaipur. Tivemos que começar o dia cedo porque queríamos andar de elefante. Passamos então pelo palácio dos ventos e palácio das águas. Nos dois só ficamos do lado de fora e tiramos fotos. Seguimos então para o Forte Amber (ou Amer), onde, para subir até o forte, fizemos uma passeio de dez minutos montados em um elefante. Antes de cehgarmos no Fort paramos na estrada para fazer carinho num bebê elefante super cute! Foi muito, mas muito legal mesmo andar de elefante! E ah, cada elefante sobe duas vezes por dia e apenas no período da manhã. Passamos então por uma fábrica de produtos manufaturas como tecidos, tapetes, produtos em pedra e jóias. E, por últimos fomos ao City Palace Museu.


Palácio dos ventos


Elefante baby


Passeio de elefante


Forte Amber


City Palace Museu

Ponto negativo da viagem é o assédio. Se em Baroda as pessoas ficavamm te olhando e os pedintes grudando e você, nesses lugares turísticos é pior ainda! São guias turísticos, vendedores, pedintes, crianças te cercando o tempo inteiro. Até mesmo indianos turistas te vêem como uma celebridade e querem ficar tirando fotos com você. Além disso, nada é de graça: não existe uma gentileza que não seja feita sem segundas intenções, seja de ganhar um trocado, de te levar para a loja deles e até mesmo de mudar o preço já combinado porque fez uma gentileza a mais.

Ponto positivo é, primeiramente, que as condições das estradas são excelentes, sem buracos, falhas ou obra não sinalizada. O problema está só na maneira como as pessoas dirigem. Mais uma vez como dizia meu motorista em Barora "India good, people here not good". Todos os monumentos que visitamos foram muito legais de se ver também e, de maneira geral, estavam limpos e conservados.

A viagem valeu. Sem dúvida era uma que tinha que ser feita, afinal quem acreditaria que eu morei quase dois anos na Índia se eu não tivesse nenhuma foto no Taj Mahal?

E com essa viagem se encerrou meu ciclo de vida na India. Depois disso retornei ao Brasil e estou aqui ajeitando minha vida. Além de que muitas novidades aconteceram, mas isso vai ficar para os próximos posts ;o)

Um comentário:

  1. Adorei as fotos e os comentários...

    Muitas felicidades pra vocês!

    =)

    ResponderExcluir